sábado, março 26

Retrospecto.

Muito tempo se passou e muitas questões foram feitas até então. Varias destas se perderam com o tempo. Uma, entretanto, ainda persiste. Esta que eu daria a vida para saber a sua resposta.

"E agora? Você está bem? Está realmente bem? E se de nada vale um sorriso não sincero, acha que chorar adianta? Se de nada vale o choro, porque choramos em prece? Mas de que adianta rezar quando não podemos enxergar o amor? Somos o plural? Somos metade de um sentimento uníssono? Se somos, porque não estamos unidos, como a laranja recém colhida? Porque o que passara a ser colorido com cores mais fortes que as de Frida Khalo, volta a ser um sépia morno e triste? Porque fica muda? Porque não grita com todas as forças tudo o que quer dizer, deumavezsempararpararespirar? Porque não diz o que quer dizer quando pega no telefone? Porque não disca? Porque não somos mais esta linha cruzada?
Como podemos abandonar aquilo que nos foi tão bom e desbravar o futuro que ainda não nos pertence? Como fazemos para convencer a nós mesmos de que o melhor caminho a seguir é justamente o misterioso? E porque não dar o primeiro passo? Porque não damos, não demos o primeiro passo juntos? Porque quem ama não tem juizo? Porque quem ama abre mão de tudo e fica somente portando essa pequena jóia? Porque temos de chorar quando cativamos alguém? Porque a saudade existe? Amar não é olhar um para o outro. Mas pra onde estamos olhando agora? Pra onde eu posso olhar e poder ver? Pra onde podemos olhar juntos, como um par de olhos de um ser perfeito?
Porque saudade não se pode traduzir? Porque saudade existe? Porque eu alimento-a ainda?Porque sinto-me assim, tão infeliz? Será que esse sentimento não passa? Será que nada vai ocupar um espaço vazio? Existe mesmo algo infinito, eterno? Porque coisas acontecem todas sempre ao mesmo tempo? Como se vive incompleto, ou parecendo incompleto? Será que pessoas que se foram retornam? Será que existem coisas que morrem e voltam a criar vida? Qual será a essência da vida? Quem, realmente, sou eu? Porque? Como? Onde? Aonde? Porque? Como faz? COMO?"


Muito tempo se passou. Muitas questões foram feitas, refeitas e refletidas. Algumas poucas respostas foram encontradas. Muitas delas, entretanto, se perderam com o tempo. Hoje, com todo o meu coração, não me importo com as respostas que não recebi, das perguntas que ainda me pressionavam. O meu contentamento é responder a todas essas com uma única resposta, vinda de minha própria boca:



Pense o que você quiser. (Y)

2 comentários:

Géssica Barros disse...

quantas perguntas...

Etiene disse...

Para que tantas perguntas, se a maioria delas a gente não consegue obter resposta alguma, relaxe e goze da vida, e não precisa querer dar a vida para saber uma resposta, talvez a resposta já esteja à sua frente mais ainda não é o momento certo de sabe-la, ainda há tanto pra se ver ...

... sentir ou imaginar =)


Blogger Layouts by Isnaini Dot Com. Powered by Blogger and Supported by ArchiThings.Com - House for sale