quarta-feira, abril 27

Inertos passos certos.

Nem o mais otimista, nem o mais verdadeiro, seria capaz de acreditar que, mais uma vez, o mundo giraria mais depressa que meus passos e me faria trocar de direção. Talvez os mais loucos, como eu, suspeitassem desde o início. Sou inconstante, mesmo quando não quero ser. As coisas acontecem rapidamente. Tanto boas quanto ruins. E a vida dispara como o gatilho de um revolver, lançando seu projétil contra o ar, contra o futuro. Eu não posso mudar, por mais que mude em todo o instante. Sempre serei eu mesmo, até quando não puder ser sempre igual.
Abraços abertos, esperando meu retorno. Beijos e festa. E, mal chego e repouso minhas costas na cadeira velha, mal ponho meus pés cansados sobre a mesa de centro e começo a prosear com todos aqueles que me amam, o destino me convoca para mais uma jornada. Como se o meu universo fosse somente a estrada, os pontos de carona, a mochila nas costas e a bússola que não indica para onde devo ir. Um esmo objetivo, pois certas pessoas nascem para ser livres, para conhecer mais e mais lugares, mais e mais pessoas. O lar do passarinho é o ar, não o ninho. E eu voei.
Houveram aqueles que tiveram coragem de dizer que o meu retorno pra casa fora um passo regressivo. Que voltar para o lar e ser feliz era apenas mais uma forma de assumir o medo de efetuar o melhor e mais perfeito ofício que me fora dado. Mas do que adianta ter regalias e não ser feliz? De que adianta seguir firme em um objetivo que não vai te trazer nenhum tipo de alegria? Não. Eu não posso mudar. Eu posso ser a mudança, mas não posso mudar. Tenho meu próprio molde. Sou assim.
Já me acostumei com a saudade e com o vazio no peito que fica sempre que deixo alguém. Fazem parte do meu fardo, da minha bagagem. Contudo, se abro mais uma vez esta porta e saio, é porque minha necessidade de ganhar o mundo é notável, porque o caminho ainda é desconhecido. Assim eu cresco. Agarrando todas as oportunidades que me dão, fazendo de cada uma a grande jornada. Agora, desta vez, eu posso escolher algumas pessoas para me acompanhar. Poder ensinar, poder aprender e poder ajudar. Pois é preciso dar um passo atrás para poder efetuar um grande salto, sempre. Se voltei, é porque o maior dos loucos acreditou que seria necessário para conseguir a tão sonhada e saborosa queda-livre.
Não posso mudar. Posso ser a mudança. Se andar para trás é exatamente aquilo que parece ser, eu posso fingir que o mundo gira ao contrário e, então, andar para frente. Somos nós quem fazemos nossos caminhos. A vida só nos mostra as estradas.




Pense o que você quiser. (Y)

1 comentários:

enchantedlifeway. disse...

Incrível. Toda a vez que passamos aqui sempre encontramos algo muito bom. Realmente, algumas pessoas nasceram para ser livres, outras para fazer parte do stress do dia-a-dia, e outras ainda para viverem a vida pensando... Mas o que é o certo, o 'normal'? Não se sabe, cada um tem suas próprias necessidades. Parabéns pelo texto.

Desejamos um ótimo fim de semana.
Abraços,

enchantedlifeway.


Blogger Layouts by Isnaini Dot Com. Powered by Blogger and Supported by ArchiThings.Com - House for sale